Página Inicial
Receba as nossas novidades
Trabalhe Conosco
Totalize empresa de criação de sites em curitiba
12Abril

Por que sua empresa precisa de um site?

Todos sabemos o quanto a internet vem crescendo no Brasil nos últimos anos. Milhares de sites são lançados diariamente, assim como muitos terminam também. Sua empresa precisa ter um site por diversos motivos que vamos descrever abaixo.

 

Informações para clientes

O site apresenta 24 horas por dia as informações que seus clientes buscam. Ter um site explicativo, com o conteúdo bem apresentável é uma boa forma de atrair clientes. O conteúdo do site deve por obrigação trazer informações claras e sucintas. As pessoas não podem se perder ao estarem lendo o que você apresenta. Então seja breve e trabalhe bem cada frase para facilitar a absorção de informações.

 

Passar confiança

O site vai trazer confiabilidade para seu cliente. Deixando o telefone de contato e informações sobre a empresa passa confiança para seu cliente. Um site organizado, fácil de usar também ajuda na confiança. E nada melhor que o cliente confiar na sua empresa para ter certeza que pode contar com vocês quando precisarem.

 

Clientes novos

Já imaginou que você pode vender para todo o país, ou melhor, para todo o mundo através da internet? Pois bem, seu site fica disponível para ser acessado pelo mundo todo. Potenciais clientes podem estar buscando por serviços e produtos que você oferece por todos os cantos, se você conseguir clientes novos pelo site já estará pagando seu investimento.

 

Tenho um pequeno negócio, também preciso de site?

Claro. Ter um site não tem influência com o tamanho da empresa. Hoje é fundamental que clientes possam ter uma forma de contato e uma forma de achar informações úteis sobre seus serviços, produtos e até sobre sua empresa.

 

Por que é importante que o site seja feito por profissionais?

Cuidado com a escolha do “sobrinho”. Ajudar a família é bom, mas pode não ser o melhor para a empresa. “Meu sobrinho sabe fazer site e vai fazer de graça”. O site é a identidade da empresa na Internet. É importante que o responsável na empresa pelo site verifique se o “sobrinho” tem realmente condições de atender suas expectativas. A economia de agora pode custar reformulação de site e apresentação ruim da empresa diante de centenas de visitantes na Internet.

fonte: www.oficinadanet.com.br

12Abril

Criando conteúdo de qualidade: dicas e conceitos para permanecer bem ranqueado nos mecanismos de busca

Para conseguir permanecer bem ranqueado nos mecanismos de busca, principalmente após as recentes mudança de algoritmos do Google, a regra é “criar conteúdos de qualidade”. Você pode até já estar adotando inúmeras outras estratégias de SEO (Search Engine Optimization), porém se o seu blog ou site não estiver recheado com conteúdos relevantes é uma questão de tempo até que comece a perder tráfego.

E como criar artigos de qualidade do jeito que os mecanismos de busca gostam? Abaixo seguem cinco etapas que você deve seguir para criar artigos com conteúdo de qualidade.

 

Essas dicas são para criação de artigos, mas poderão ser aplicadas em qualquer conteúdo do site.

1. Estudo das Palavras-chave

Toda a estratégia de criação de artigos está em trazer tráfego para o site. O tráfego é gerado quando o artigo contempla uma determinada palavra chave (termo de pesquisa) que é bastante procurada nos mecanismos de busca. Ex.: “Carnaval do Rio” é um termo de pesquisa bastante digitado nas caixas de pesquisa do Google. Os resultados que aparecem logo na primeira página são de sites que trabalharam essa palavra chave/termo de pesquisa em suas páginas.

Portanto, é fundamental saber escolher as palavras-chave corretas para o trabalho de criação de artigos.

Como escolher a palavra-chave correta para criação do artigo?

São dois os fatores que você deve levar em consideração:

  1. Palavras chave que tenham bastante demanda (muita procura no Google);
  2. Palavras que tenham baixa concorrência.

Demanda X Concorrência é o que deve ser analisado para escolher a palavra chave correta.

O Google tem uma ferramenta que permite analisar esses dois fatores e escolher a palavra. É a ferramenta de palavra chave do Google Adwords.

 

2. Planejando o artigo com base na concorrência

Uma vez escolhida a palavra chave, então está na hora de planejar o seu artigo. Entretanto, não podemos criar o artigo da “nossa cabeça”. Temos primeiro que descobrir o que o Google quer ler/saber sobre aquela palavra-chave. Para saber o que o Google quer “escutar” não há nada mais prático do que digitar a própria palavra chave escolhida na caixa de pesquisa do Google e analisar os resultados. Os sites listados nas primeiras posições são seus principais concorrentes.

Analise, entre os sites bem ranqueados para aquela palavra-chave, quais informações eles trazem sobre aquele termo de pesquisa. Dica: vale também pesquisar os blogs que estão sendo bem indexados. No menu de pesquisas do Google, onde estão os links “notícias”, “maps”, etc. também tem um link “Mais”; clique e depois selecione “blogs”.

Em sua análise de artigos da concorrência atente para o que segue:

  1. Quais as informações principais que constam nos artigos;
  2. Se possui muita ou pouca imagem;
  3. Se possui vídeo;
  4. Qual a quantidade média de palavras nesses artigos.

Analisando dez artigos (despreze os sites que não são de conteúdo, como os sites de e-commerce), você vai ter uma boa ideia sobre o que, no mínimo, você deve comentar em seu artigo e como as informações devem estar organizadas.

Digo “no mínimo”, pois você não quer estar empatado com a concorrência. Coloque outras informações complementares, mais fotos, vídeos, etc. O objetivo é ter um conteúdo de qualidade melhor que o da concorrência.

Faça uma lista dos tópicos que você comentará em seu artigo. Você não precisa ficar restrito ao que a concorrência divulga. Caso encontre em suas pesquisas, ou tenha conhecimento, sobre informações relevantes relacionadas ao tema em questão, adicione essas informações em seu artigo.

 

3. Criação do artigo

Agora que você possui os tópicos, comece a redigir. Aqui tem início uma segunda etapa de pesquisas, muito importante, que não pode deixar de ser feita. Essa segunda pesquisa é mais detalhista; “micro”.

Exemplo: Vamos supor que você pesquisou “Carnaval do Rio” e encontrou os seguintes tópicos principais em sua análise da concorrência:

  1. Escolas de samba
  2. Sambódromo
  3. Preço dos ingressos

Vamos analisar o item 2. “sambódromo”. Em sua pesquisa inicial, a palavra “sambódromo” apareceu, digamos, em 90% dos artigos. Ela é, portanto, um tópico que você não poderá deixar de comentar em seu artigo.

Mas talvez, em todos os artigos da concorrência, o tópico “Sambódromo” foi relatado de forma superficial, sem detalhes. Nestas situações, onde o tópico aparece sempre, e a concorrência trabalhou pouco ou de forma superficial, está uma oportunidade para você se diferenciar, fazendo uma segunda pesquisa “micro” no Google sobre o Sambódromo do Rio de Janeiro e trazendo novas informações, de qualidade, para seus leitores.

 

Cuidados a serem considerados em SEO

Nem sempre vale a pena investir nessas palavras superficiais que mencionamos. Se a concorrência toda não o fez, é por que talvez esse tópico não seja tão procurado no Google. Vale analisar a questão Demanda X Concorrência na Ferramenta de palavras-chave do Google e entender até onde vale a pena detalhar o tópico no artigo.

Um erro comum em SEO é detalhar demais um tópico, mais do que o próprio tema principal. Se a palavra chave que você está trabalhando é “Carnaval do Rio” e a palavra “Sambódromo” aparece mais que a principal em seu artigo, então temos um problema. Nessas situações, o Google não vai entender qual palavra-chave você quer priorizar (“Carnaval do Rio” ou “Sambódromo”) e vai dividir a relevância do artigo pelas duas. Traduzindo: nenhuma das duas ranqueará bem nas pesquisas do Google. Nessas situações, crie um segundo artigo que fala sobre o Sambódromo. No primeiro artigo, onde o tema principal é “Carnaval do Rio”, comente rapidamente sobre o Sambódromo e coloque um link neste tópico para o segundo artigo que você criou (sobre o Sambódromo). Desta forma, você também estará dizendo para o Google que a palavra-chave “Sambódromo” está sendo priorizada no segundo artigo.

 

4. Otimização do artigo para SEO

Uma vez redigido o artigo, agora é necessário otimizá-lo para fins de SEO. Aqui vou listar apenas os principais fatores de SEO relacionados à palavra-chave escolhida, porém não vou comentá-los detalhadamente. Seguem:

  1. O título do artigo deve conter a palavra-chave;
  2. A densidade da palavra-chave deve estar entre 2% a 5% ;
  3. Naturalidade do texto (cuidado em repetir de forma artificial as palavras – use termos relacionados, como “Carnaval do Rio” e “Carnaval Carioca”;
  4. Títulos e sub-títulos (headings – são os H1, H2 – são os próprios tópicos que você pesquisou – coloque a palavra chave nos headings);
  5. Qualidade das fotos e tamanho (Uma foto bonita cria um efeito viral em mídias. Ex.: Pinterest);
  6. Direitos autorais (sempre mencionar a fonte – saber pesquisar a fonte);
  7. Fotos com a palavra chave no “alt”;
  8. Vídeos;
  9. Quantidade de palavras (mínimo de 800). Textos com conteúdo de qualidade geralmente são longos!

 

5. Revisão e Publicação

Tão importante quanto criar o artigo é revisá-lo. Infelizmente, a maioria das pessoas não dá a devida importância para essa etapa. É certeza que você encontrará falhas e erros comuns. É só pesquisar pela internet e você encontrará muitos artigos, de blogs até famosos, com erros de português e/ou digitação (está aí mais uma oportunidade para você se diferenciar).

De nada adianta todo o trabalho de criação, horas pesquisando, horas escrevendo, coletando imagens e no final o artigo é publicado e esquecido com erros de digitação e erros de português.

Erros comuns:

  • Erros de português/gramaticais;
  • Palavras digitadas erradas (comum acontecer quando digitamos rápido);
  • Parágrafos fora de ordem (muito comum, pois às vezes esquecemos de reorganizá-los);
  • Parágrafos repetidos;
  • IMPORTANTE: parágrafos copiados exatamente iguais aos da fonte (atenção aos direitos autorais). É comum esquecermos de alterar a redação da fonte para a nossa interpretação dos fatos. Se você quer copiar exatamente igual, não deixe de mencionar a fonte.

Qualidade do artigo

Você precisa ler o artigo como se fosse um usuário/seguidor do blog. Para saber se um usuário gosta do seu artigo, faça as seguintes perguntas para você mesmo:

  1. O conteúdo trata exatamente sobre o que o título do artigo divulga?
  2. Este artigo prendeu minha atenção até o final?
  3. Ele tirou minhas dúvidas ou trouxe informação que me complementou?
  4. Eu compartilharia esse artigo com um amigo ou no facebook/twitter/Google+?
  5. As fotos estão bonitas? Você salvaria esta foto em seu computador ou publicaria em algum mural? (Ex.: Pinterest)
  6. Esse vídeo é interessante?

Siga essas etapas e você criará um artigo de qualidade, do jeito que o Google gosta!

fonte: http://www.imasters.com.br

Tags: Sem tags
12Abril

Internet, Intranet e Extranet o que são, e quais as diferenças?

Estas três palavras do título são muito utilizadas hoje eu seu meio de trabalho, mas você sabe o que elas significam e para que servem? Bom se você está lendo este texto é por que sabe o que é internet, mas conhece o histórico das redes de computadores e como começou a internet no Brasil?

 

INTERNET

Qual empresa hoje não conta com um computador conectado a internet? A necessidade da informação criou a internet que hoje conhecemos. Assim como destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi o caso da internet que surgiu na guerra fria em 1960 a 1970. O governo norte-americano queria desenvolver um sistema para que seus computadores militares pudessem trocar informações entre si, de uma base militar para outra e que mesmo em caso de ataque nuclear os dados fossem preservados. Seria uma tecnologia de resistência. Foi assim que surgiu então a ARPANET, o antecessor da Internet.

Após isto o projeto da internet era coligar universidades para que fosse possível uma transmissão de dados de forma mais eficaz, rápida e segura. No Brasil a internet iniciou em 1988 quando no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), localizado no Rio de Janeiro, conseguiu acesso à Bitnet, através de uma conexão de 9 600 bits por segundo estabelecida com a Universidade de Maryland.

Definição de internet:

A definição de internet é um conglomerado de redes locais espalhadas pelo mundo, o que torna possível e interligação entre os computadores utilizando o protocolo de internet. A internet é uma das melhores formas de pesquisa hoje encontrada, de fácil acesso e capacidade de assimilação do que é buscado. Em março de 2007 foi feito um senso que divulgou que cerca de 16,9% da população mundial utiliza internet, ou seja, cerca de 1,1 bilhão de pessoas, hoje este valor deve ser maior devido à grande taxa de crescimento da internet no ano de 2008.

Para que serve:

A internet serve como um dos principais meios de comunicação inventados pelo homem. A capacidade de transmitir dados à longa distância faz com que a internet tenha milhões de adeptos diários. Com a internet se pode transmitir texto, fotos, vídeos, fazer ligações por voz ou vídeo com pessoas do outro lado do mundo instantaneamente.

 

INTRANET

As empresas estão cada vez mais necessitando de centralização das informações, métodos de comunicação interna para reduzir custos. A intranet possibilita tudo o que a própria internet dispõe. Porém a principal diferença entre ambas é que a intranet é restrita a um certo público. Há restrição de acesso, por exemplo, por uma empresa, ou seja, todos os colaboradores da empresa podem acessar a intranet com um nome de usuário e senha devidamente especificados pela coordenação da empresa. 

A intranet ainda possibilita você a utilizar mais protocolos de comunicação, não somente o HTTP usado pela internet. Geralmente o acesso a intranet é feito em um servidor local em uma rede local chamada de LAN sigla da língua inglesa que significa Local Area Network (rede de acesso local) instalada na própria empresa.

Definição de intranet:

A intranet é um espaço restrito a determinado público utilizado para compartilhamento de informações restritas. Geralmente utilizado em servidores locais instalados na empresa.

 

EXTRANET

A extranet seria uma extensão da intranet. Funciona igualmente como a intranet, porém sua principal característica é a possibilidade de acesso via internet, ou seja, de qualquer lugar do mundo você pode acessar os dados de sua empresa. A idéia de uma extranet é melhorar a comunicação entre os funcionários e parceiros além de acumular uma base de conhecimento que possa ajudar os funcionários a criar novas soluções.

Comparativo entre as tecnologias:

  INTERNET INTRANET EXTRANET
Acesso restrito   sim
Comunicação instantânea sim sim sim
Comunicação externa sim   sim
Compartilhamento de impressoras   sim  
Compartilhamento de dados sim sim sim
Rede local (LAN)   sim  

fonte: www.oficinadanet.com.br

Empresa especializada em Criação de sites em curitiba | Criação de Lojas Virtuais em curitiba | Desenvolvimento de web sites | Sistemas | Portais | Hotsites | intranet e extranet.
A Totalize Internet Studio tem como objetivo Desenvolver / criar soluções inteligentes para o sucesso de nossos clientes. Agência de Internet localizada em Curitiba - PR Página Inicial
A Totalize
Serviços
Produtos
Portfólio
Fale Conosco
Solicite um Orçamento
Portfólio - Criação de Sites
Portfólio - Criação de Lojas Virtuais
Portfólio - Intranet e Extranet
Criação de Logomarca
Portfólio - Web Marketing
Totalize Internet Studio - construção de sites em curitiba | criação de Loja Virtual curitiba | criar site curitiba | Criação de sistemas em curitiba.
Rua Travessa Rafael Francisco Greca, 50 Conj. 62 / 63 - Água Verde - Curitiba PR

© Totalize. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial.
A Totalize Internet Studio está localizada na rua Travessa Rafael Francisco Greca, 50 Conj. 62 / 63, no bairro Água Verde em Curitiba - Paraná
Brasil
Telefone: (41) 3275-6929. .